10 dicas para fugir das dívidas

10 dicas para fugir das dívidas

Sabemos que as vezes o mês torna-se muito longo, que gastos surpresas surgem ou ainda, podemos perder o emprego, e por esses e outros motivos 41% da população adulta brasileira acabou se endividando de acordo com dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Para evitar que você seja o próximo nessa grande lista, separamos algumas dicas para evitar o endividamento.

1. Aprendendo a dizer não: para evitar o endividamento é sempre importante conhecer os limites dos seus gastos. Por mais tentador que seja comprar alguma coisa, é necessário entender quando não é possível e separar desejo de necessidade.

2. Planeje-se: o começo de ano, por exemplo, é sempre um período com muitas contas para pagar. Seja material escolar, impostos (IPVA, IPTU, etc), viagem ou a prestação das compras de natal. Sabendo disso, programe-se para fazer uma reserva e quem sabe aproveitar seu 13º para ajudar a pagar essa demanda extra.

3. Cuidado com os empréstimos: no momento de desespero o empréstimo pode parecer uma ótima saída, mas lembre-se que os juros são muito altos e o valor pago no final é sempre muito maior do que o valor contratado inicialmente;

4. Não atrase o pagamento de contas: é sempre bom fugir de tudo que pode trazer multa e juros. Então, não se esqueça das datas de vencimento de suas contas. Uma boa opção é colocá-las em débito automático.

5. Cuidado com o cartão de crédito: NUNCA atrase uma conta de cartão de crédito. Os juros são muito altos e o endividamento é certo. É sempre bom lembrar que o pagamento integral da fatura é primordial para evitar que os custos se transformem em uma bola de neve.

6. Defina prioridades: nem sempre podemos comprar tudo que queremos, por isso, é importante definir quais são os itens fundamentais e quais as atividades são essenciais para o dia a dia da família. Gastos supérfluos como comer fora de casa todo dia, ou roupa nova toda semana, podem ficar de lado.

7. Consuma de forma consciente: quantas vezes não compramos alguma coisa e depois ficamos nos perguntando o motivo?

Por isso é importante ter em mente como funciona o processo de decisão de compra, para que você possa fazer a melhor escolha e a fase mais importante e que vai te ajudar bastante é a da pré-compra, que compreende 3 etapas:

Etapa 1– Reconhecer necessidades: é a etapa em que você identifica o que está faltando e aqui você precisa entender também porque acha que está faltando. É importante você avaliar se não existe nenhum fator influenciador de compra agindo no seu inconsciente, como ansiedade, autoestima ou materialismo, dentre outros.

Etapa 2 – Buscar informações: nesta etapa você vai procurar saber mais sobre o produto ou serviço que necessita, através de fontes pessoais, comerciais ou públicas (por ex: internet).

Etapa 3 – Avaliar as alternativas: nesta última etapa antes da compra, você vai comprar as informações coletadas e definir qual a que melhor atende sua necessidade

8. Evite comprar parcelado: sempre que possível faça a compra à vista. Pequenas parcelas dão a falsa sensação de economia, e fazem uma dívida se prolongar por muito tempo.

9. Economize: dinheiro, papel, sabonete, água, tudo que pode, deve ser economizado para evitar desperdício e garantir que no futuro não irá faltar!

10. Pare e pense: quando você começar a perceber que o dinheiro talvez não seja suficiente, é a hora de parar e pensar sobre seus hábitos. Esse simples exercício pode te ajudar a entender melhor seu consumo e como podá-lo para que caiba no seu orçamento familiar.

Para saber mais sobre consórcio acesse: https://primorossi.com.br/